Expo homenageia arquiteto Severiano Porto

Expo homenageia arquiteto Severiano Porto

Fotografias das obras e também joias inspiradas no estilo do arquiteto integram a mostra no Centro Cultural Palácio da Justiça, e que também estará disponível em formato digital para o público

Arquiteto de obras icônicas no Amazonas, Severiano Mário Porto ganha homenagem com a exposição “Severiano 90 anos”, que entra em cartaz no Centro Cultural Palácio da Justiça (avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro Histórico de Manaus), a partir desta quarta-feira. Fotografias das obras e também joias inspiradas no estilo do arquiteto fazem parte da mostra realizada pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

A exposição ficará disponível no horário de visitação do espaço, de terça a sábado, das 9h às 15h, com agendamento pelo Portal da Cultura (www.cultura.am.gov.br). As obras também estarão disponíveis para o público em formato digital, no Portal da Cultura, a partir do dia 19 de agosto. A exposição fica em cartaz até o dia 8 de novembro. 

Participam da exposição os fotógrafos Selma Maia e Jorge Santos, e a designer e fotógrafa Iuçana Mouca, que idealizou o projeto com curadoria da arquiteta Ana Lúcia Abrahim. 

São 24 registros fotográficos e nove joias/conjuntos que contemplam os edifícios projetados por Severiano, como a sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), uma agência da Caixa Econômica Federal, o Fórum Henoch Reis, a Igreja de Cavaco, entre outras obras. 

“Eu descobri que, desde pequena, tenho contato com as obras do Severiano porque são obras muito presentes em Manaus”, explica a designer Iuçana Mouco. “Morei no condomínio que ele projetou, passei muito tempo no campus da Universidade Federal do Amazonas, que ele também projetou. Quando passava pela Suframa, sempre reparava na construção, e meu pai, que era engenheiro, também me falava das obras dele. Já como designer, comecei a estudar mais sobre o Severiano”. 

Iuçana Mouco

O livro “Poesia na Floresta: a obra de Severiano Porto no Amazonas”, de Roger Abrahim, também foi essencial para Iuçana idealizar o projeto. “O livro mostrava os desenhos e projetos dele para as obras, que inspiraram a exposição. Severiano Porto realmente criou uma arquitetura amazônica, sempre pensando na luz e ventilação características da nossa região, na matéria-prima encontrada por aqui e até nas técnicas de construção inspiradas na cultura indígena e cabocla”, comenta a designer.

A demolição do Estádio Vivaldão, que foi projeto de Severiano Porto, também estimulou Iuçana a pensar numa forma de preservar as obras do arquiteto mineiro. “Me tocava muito que as obras dele estivessem sendo esquecidas. Em 2015, pensei no projeto da exposição, mas não consegui levar para frente. Já neste ano, em que ele faz 90 anos de vida, consegui tirar da gaveta com apoio da Secretaria de Cultura e convidei os fotógrafos Jorge Santos e Selma Maia, que já tinham trabalhos sobre as obras de Severiano, além da curadoria da excelente Ana Abrahim, que é uma profunda conhecedora do trabalho do Severiano”, afirma Iuçana.

Em oito fotografias, o amazonense Jorge Santos enfocou a sede da Suframa com suas coifas de cobertura, o volume das grandes caixas d’água,  na zona centro-sul de Manaus, e o Fórum Henoch Reis. Selma Maia escolheu cinco registros fotográficos da icônica sede da Suframa, mostrando detalhes do interior piramidal das coifas, do movimento contínuo dos brises-soleil, visto a partir da circulação interna do edifício, das esquadrias e balcão do hall da recepção. 

Iuçana Mouco apresenta onze fotografias que trazem os painéis da agência da Caixa Econômica Federal e da Suframa, além da Igreja de Cavaco ,em Rio Preto da Eva. A designer também confeccionou joias inspiradas nos traços e estilo arquitetônico dos edifícios projetados por Severiano no Amazonas. 

“São nove peças, entre joias e conjuntos, cada uma inspirada em uma obra dele. Usei materiais nessas joias que lembram o que ele usava em suas construções, como madeira, cimento leve e outros. Por exemplo, tenho um brinco inspirado na Igreja de Cavaco, onde tive que estudar toda a estrutura do edifício para recriar na joia, e tenho um conjunto inspirado na coifa da Suframa”, explica Iuçana. 

As joias inspiradas no trabalho do arquiteto também poderão ser encomendadas no site de Iuçana  (www.iucanamouco.com), caso o público tenha interesse.

Legado –  A arquiteta Ana Lúcia Abrahim, que assina a curadoria da exposição, é amiga de Severiano Porto e da família do arquiteto há 40 anos. Para ela, a obra do arquiteto mineiro é sempre uma inspiração para profissionais de diversas áreas. 

“É uma exposição feita por fotógrafos e uma designer sobre as obras do Severiano. Isso mostra a capacidade e a abordagem múltipla do legado dele, que inspira vários artistas a relerem, reinterpretarem o que ele produziu durante sua trajetória”, define Ana. “O Severiano, quando chegou por aqui, entendeu essa riqueza, essa coisa polifônica, esse objeto complexo que é Amazônia, e que pautou a vida e o trabalho dele”, declara.

A família do arquiteto, que mora no Rio de Janeiro, também elogiou a iniciativa da exposição. “Entramos em contato com a neta dele, que é quem responde pela família sobre as homenagens que ele recebe, pois ele não está lúcido. Ela gostou muito da ideia. Infelizmente, eles não poderão vir por conta de toda situação da pandemia de Covid-19, mas eles vão nos acompanhar de longe”, afirma Iuçana Mouco. 

Com texto da assessoria e fotos divulgação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*