Manaus vai ganhar um cinema de rua temporário

Manaus vai ganhar um cinema de rua temporário

Projeto financiado pela lei de apoio à cultura irá oferecer ao público um cinema temporário – com duração de seis meses – na área do sítio histórico de Manaus

Projeto do produtor cultural Michel Guerrero que foi contemplado pela Lei Gustavo, o Cine Carmen Miranda inaugura no dia 27 de junho em um casarão no Centro antigo de Manaus – oferecendo programação gratuita à população pelo período de seis meses.

Símbolo de memória e arte, homenageando os antigos cinemas do Centro, a sala terá capacidade para 50 lugares, e funcionará à Rua do Congresso, n.º 10, no entorno da Praça do Congresso, no Centro antigo (para identificar, é só procurar por um portão laranja, próximo à Biblioteca Pública Municipal).

O novo cinema cult funcionará nas dependências do Instituto Cultural Hileia Amazônica, de quinta a sábado, em horários diversos, a partir das 17h. O local também contará com um bar-café aberto ao público, no foyer do espaço cultural.

O cinema terá característica de cineclube, com determinadas sessões especiais e temáticas, na abordagem de debates e discussões com especialistas contratados, além de deixar o espaço sempre aberto, após a exibição do filme, para um debate espontâneo, a partir das iniciativas da plateia.

O produtor cultural Michel Guerrero

A ‘volta’ do Cine Carmen Miranda – que já batizou uma sala de cinema no século passado, em Manaus – configura homenagem ao selo Empresas de Cinema de Arte, dos empresários Joaquim Marinho (in memorian) e Antônio Gavinho, entre outros gestores da sétima arte no período. O antigo Cine Carmen Miranda funcionou entre 1986 e 1992, na rua Joaquim Sarmento, no Centro de Manaus.

Programação de estreia

O público poderá conferir na primeira semana, na sexta (28) e sábado (29), ciclos temáticos. O dia 28 de junho é marcado pelo dia do orgulho LGBT e a curadoria do Cine Carmen Miranda destacou dois filmes que travam discussões do gênero, em diferentes épocas. A primeira fita será ‘A caixa de Pandora’, de 1929, com a atriz Louise Brooks, em que a condição lésbica é uma das primeiras exposições sobre o tema na história do cinema. Já, às 19h30, é a vez do francês ‘Três noites por semana’ (2022), que narra a história de um heterossexual casado que passa a se relacionar com um rapaz que dá vida a uma dragqueen.

Cena do filme ‘Três noites por semana’

O sábado (29) terá debate com o professor e historiador Jorge Bandeira, a partir das 18h, sobre ‘Os primeiros filmes: a cena muda’. Durante 75 minutos, o público poderá conferir as primeiras iniciativas cinematográficas, de 1895 a 1928, com 10 filmes selecionados, de realizadores como Auguste e Louis Lumière, Alice Guy Blaché, Georges Méliès e Gregory La Cava, entre outros. Após a exibição, Jorge Bandeira mediará o debate em torno da importância destes filmes e outros para a construção da indústria do cinema, em diferentes aspectos. A troca terá a duração de 60 minutos.

A agenda do Cine Carmen Miranda está aberta para adesão de escolas e artistas independentes, na formatação de ciclos artísticos e educacionais. O novo Cine Carmen Miranda tem apoio cultural da Lei Paulo Gustavo Amazonas, Conselho Estadual de Cultura do Amazonas (Conec), Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa, por meio do Governo do Amazonas, Ministério da Cultura, Governo Federal, Alliance Française Manaus e Centro Cultural Hileia Amazônica.

Com informações da assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*